quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Goiás quer recorrer de queda?

Li matéria no GloboEsporte.com dizendo que o presidente do Goiás irá recorrer ao rebaixamento, mas não me parece ser bem isso, na matéria do site, o que encontramos sobre a fala do presidente é a seguinte: "Vamos fazer o que preconiza a lei: exigir via CBF que todos os clubes apresentem documentos que comprovem situação de regularidade. Nos sacrificamos muito para ficar em dia com nossas obrigações. Pagamos salário, premiação, impostos, tudo corretamente. Precisamos ver se o país é sério realmente e se todos estão cumprindo".

Outra fala do mandatário no site é essa: "Como manda o manual, passamos pelo corporativo da Federação Goiana de Futebol (FGF) e enviamos por eles um ofício alertando a CBF sobre a necessidade de se fazer cumprir a lei que foi assinada no dia 4 de agosto em Brasília. A impressão que tenho é que deve haver muito mais do que três clubes em situação irregular".

Ele em momento algum falou em evitar a queda do Goiás, claro que ele falou que deve haver mais de 3 equipes em situação irregular, mas me parece que foi mais por conta da pergunta do jornalista, do que por que ele quer evitar a queda do seu time.

Se existe times na série A que não estão cumprindo a lei, que sejam todos (que não cumprem) rebaixados. Quem sabe assim possamos aprender que as leis existem para serem cumpridas.

Imagine que você foi para o SPC porque existem pessoas que não pagaram as suas contas. É justo isso? Pois é isso o que está acontecendo. Se um clube não consegue pagar seus funcionários, é óbvio que ele não merece estar disputando a divisão em que se encontra.

Na Itália a Juventus disputou a segunda divisão por ter se envolvido com corrupção de árbitros e hoje é o grande time da Itália. Não há mau nenhum em errar e pagar por seus crimes, o importante é que o futebol sirva de exemplo para a sociedade de que não deve haver impunidade para quem infringi as leis.

Segue lei do Profut

sábado, 14 de novembro de 2015

Argentina x Brasil sob o meu olhar

Andei lendo alguns comentários do tipo o empate foi justo, o Brasil mandou no segundo tempo. O que é um disparate essa afirmação. Quem fala isso pensa só em chutes a gol, pois sim, o Brasil deu mais chutes a gol, mas o futebol não é só isso, tem que olhar as jogadas criadas. A Argentina deu um baile no Brasil no primeiro e chutou pouco a gol, ela lançou mais bolas na área do que chutou de fato. No segundo tempo o Brasil igualou o jogo, mas a Argentina continuou levando perigo ao nosso gol.

Quando as coisas estão bem, todo mundo fala bem da seleção, quando não está, surgi aqueles zé povinho falando que essa é a pior geração e blá, blá, blá. Tudo papo furado. Temos jogadores muito bom nessa geração e poderíamos sonhar com algo melhor se tivéssemos um treinador melhor. Onde já se viu um atacante de beirada não marcar o lateral adversário ou como uma seleção com dois volantes fixos pode tomar tanta bola nas costas dos laterais em conta ataques? Ontem Elias e Luiz Gustavo estavam fixo no meio campo, mas em nenhum momento um deles cobriu a retaguarda do Daniel ou do Filipe, sem contar o Neymar que não marcou em nenhum momento a subida do lateral da Argentina ou o Di Maria que caiu diversas vezes por aquele canto o que acabou por sobre carregar o Willian e o Lucas Lima. Eu queria saber porque ele não ajudou a marcar, porque no Barcelona ele, o Messi e o Suarez ajudam.

Pelo futebol fraco que jogamos é para comemorar sim o ponto fora, mas a Argentina tem muito mais a comemorar, jogaram como não tinham jogado até agora nas Eliminatórias e sem 6 jogadores titulares, o horizonte até o momento está muito mais para os hermanos do que para nós.

Para o próximo jogo, eu faria algumas mudanças no Brasil. Primeiro sairia desse esquema 4-2-3-1 e usaria algo que colocasse o Brasil para frente, afinal somos a seleção penta campeã, somos nós quem ditamos o ritmo de jogo. Eu particularmente usaria o esquema 4-1-4-1, já que o Dunga gosta de um cão de guarda a frente da zaga e particularmente nessa partida, deixaria o Neymar no banco e sairia com o seguinte time: Alisson(G), Danilo(LD), Miranda(Z), Gil(Z), Filipe Luís(LE), Luiz Gustavo(V), Willian(MD), Fernandinho(MC), Lucas Lima(MC), Douglas Costa(ME) e Ricardo Oliveira(A) e para a segunda etapa, Neymar no lugar de Ricardo Oliveira ou no lugar do Fernandinho, trazendo o Willian pro centro, são substituições que poderiam ser feitas. O Brasil precisa de técnicos que não chovam no molhado.

domingo, 1 de novembro de 2015

Qual o problema do Chelsea?

O que está acontecendo com o Chelsea campeão da temporada 2014/15? Houve tanta mudança no time para o campeão estar tão próximo da lanterna da Premier?

O problema do Chelsea não é o Mourinho, quem acompanha o campeonato inglês, em especial os jogos do Chelsea, consegue citar diversos jogadores abaixo do que normalmente jogam e não venha com mimimi de que é culpa do técnico.

Hazard, Oscar, Terry, Ramires e Azpilicueta estão jogando muito aquém do que normalmente jogam e continuam na mesma posição do campo em que jogavam na temporada passada.

O Courtois está machucado e o Begovic é um goleiro mediano. O Cahil é um zagueiro fraco. A lateral direita do Chelsea sempre foi fraca. Mikel e Matic são volantes lentos que não sabem atacar enquanto o Ramires não sabe marcar. O Oscar é sonolento, assim como é na seleção brasileira e precisa de muito espaço em campo pra render e se o Hazard não abrir esse espaço pro Oscar, como não tem feito, o meio-campo do  Chelsea não rende.

O Chelsea hoje depende muito do William e do Diego Costa, um time que quer ser grande como o Chelsea quer, não pode ter um meio-campo tão preguiçoso como tem. Se comparar o Chelsea com outros grandes clubes do inglês, vai ver que o meio-campo dos Blues tem o pior desempenho.

Hoje para equipe ser campeã, é preciso ter um meio-campo que produza, veja o Arsenal ou o City na Inglaterra ou equipes como Barcelona, Real Madrid, Bayern e até a Juventus da temporada 2014/15, que tinha um meio-campo muito equilibrado com o veterano Pirlo.

Todas equipes que antes de terem um ataque extremamente forte, possuem um meio-campo inteligente e produtivo.

Chelsea, quer ser campeão, tenha um meio-campo mais inteligente ou torça para Hazard voltar a ser um dos melhores da Europa.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Mão na bola ou bola na mão?

Mão na bola ou bola na mão? Como poderíamos acabar de vez com essa polêmica de uma forma justa ou o mais perto disso? Exemplos como o do caso abaixo, têm sido interpretadas de formas diferentes no Campeonato Brasileiro de 2015.
Bem, eu tenho uma ideia no qual acredito que seja a melhor solução para esse caso. Vamos a solução, que de certa forma, é bem simples.

Primeiro, precisamos dizer que há duas formas de mão na bola: mão na bola de forma deliberada e a mão na bola de forma indefinível.

A mão na bola de forma indefinível, por ser uma atitude anti desportiva leve, a punição seria o cartão amarelo (por ser uma atitude anti desportiva) e tiro livre indireto, pois no julgamento do juiz, não ficou claro se o jogador queria ou não colocar na bola.

Já por outro lado, a mão na bola de forma deliberada o jogador receberia como punição o mesmo cartão amarelo e tiro livre direto, no qual se ocorresse dentro da área seria o famoso pênalti.

Essa marcação acabaria, no meu ponto de vista, o problema de interpretações de bola na mão ou mão na bola, sendo tudo falta, mudando apenas a punição de caso a caso.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Estamos a 365 dias sem tomar um gol da Alemanha, mas...

Estamos a 365 dias sem tomar um gol da Alemanha, mas nesse meio tempo, tomamos gol das seleções do Peru, Venezuela e do Paraguai, no qual empatamos e perdemos nos penaltis, sem mencionar que nossos vizinhos bi campões do mundo enfrentaram esse mesmo Paraguai e aplicaram a sonora goleada de 6x1, fora o baile.

Tá certo que a Argentina oscilou muito e acabou perdendo a final para o Chile, que mesmo não tendo tradição alguma, está com um time muito bom e tem um técnico que foge do normal, a la "louco Bielsa".

A seleção nem chegou a oscilar durante o mesmo torneio, jogamos mal todos os jogos e como o que vale é ganhar, não houve muitas críticas nas vitória em cima do Peru e da Venezuela, mesmo sendo vitórias magras e sem um belo futebol contra uma defesa extremamente fraca como a dessas seleções.

Se você quer ser a melhor seleção do mundo, é preciso ter uma preparação forte, enfrentar fortes oponentes e fazer diversos testes no começo, procurando o "time perfeito" e nada disso tem sido feito.

Estamos a 365 dias sem tomar um gol da Alemanha, mas estamos a apenas 16 dias sem tomar um gol da Venezuela.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Crônica sobre a Copa América 2015

Independente de quem seja campeã nesse final de semana, Chile ou Argentina, ambas chegaram a final com méritos. Verdade seja dita, o Chile oscilou muito menos que os nossos hermanos e talvez por isso, eu estou apostando minhas fichas na Roja.

Essa copa América foi a demonstração de que nossa maneira de entender futebol já está muito ultrapassada. Uma prova disso é que nós não estamos conseguindo exportar nossos técnicos para outras seleções como em outros tempos, ao contrário da Argentina, que emplacou nessa copa América 7 seleções com técnicos argentinos, e desses sete, quatro chegaram as semi finais e consequentemente dois chegaram a final e um técnico argentino será campeão.

Se o Brasil pretende não depender da genialidade de um jogador apenas como tem sido nas ultimas copas e tem a intenção de ser campeão, essa é a hora de nos despir desse orgulho besta de não queremos ter um técnico estrangeiro.

Ah, mas aí você pode dizer, temos bons técnicos brasileiros, esse que está no comando que não é bom. Respeito sua opinião, mas discordo. Não temos bons técnicos e pra ser sincero, raramente nossos técnicos são bons, salva raras exceções, mas que hoje, já estão desatualizados ou não estão mais aptos pra estar a frente da seleção.

Temos muito a aprender com técnicos como Mourinho, Guardiola, Sampaoli, Bielsa, Van Gaal, entre outros. Todos técnicos que fogem da normalidade e que não usam o esquema 4-2-3-1 por ele ser "bom" ou por "estar na moda" e sim porque tem jogadores com características para trabalhar nesse esquema. Pois hoje todo time que não tem padrão tático, trabalha com esse esquema.

Para a seleção brasileira chegar em 2018 com esperanças de título, sem a necessidade de um craque, está em termos um padrão tático e hoje não temos um técnico competente para dar esse padrão a seleção. Vamos ter humildade e aprender com nossos vizinhos antes que seja tarde Brasil.