sábado, 14 de novembro de 2015

Argentina x Brasil sob o meu olhar

Andei lendo alguns comentários do tipo o empate foi justo, o Brasil mandou no segundo tempo. O que é um disparate essa afirmação. Quem fala isso pensa só em chutes a gol, pois sim, o Brasil deu mais chutes a gol, mas o futebol não é só isso, tem que olhar as jogadas criadas. A Argentina deu um baile no Brasil no primeiro e chutou pouco a gol, ela lançou mais bolas na área do que chutou de fato. No segundo tempo o Brasil igualou o jogo, mas a Argentina continuou levando perigo ao nosso gol.

Quando as coisas estão bem, todo mundo fala bem da seleção, quando não está, surgi aqueles zé povinho falando que essa é a pior geração e blá, blá, blá. Tudo papo furado. Temos jogadores muito bom nessa geração e poderíamos sonhar com algo melhor se tivéssemos um treinador melhor. Onde já se viu um atacante de beirada não marcar o lateral adversário ou como uma seleção com dois volantes fixos pode tomar tanta bola nas costas dos laterais em conta ataques? Ontem Elias e Luiz Gustavo estavam fixo no meio campo, mas em nenhum momento um deles cobriu a retaguarda do Daniel ou do Filipe, sem contar o Neymar que não marcou em nenhum momento a subida do lateral da Argentina ou o Di Maria que caiu diversas vezes por aquele canto o que acabou por sobre carregar o Willian e o Lucas Lima. Eu queria saber porque ele não ajudou a marcar, porque no Barcelona ele, o Messi e o Suarez ajudam.

Pelo futebol fraco que jogamos é para comemorar sim o ponto fora, mas a Argentina tem muito mais a comemorar, jogaram como não tinham jogado até agora nas Eliminatórias e sem 6 jogadores titulares, o horizonte até o momento está muito mais para os hermanos do que para nós.

Para o próximo jogo, eu faria algumas mudanças no Brasil. Primeiro sairia desse esquema 4-2-3-1 e usaria algo que colocasse o Brasil para frente, afinal somos a seleção penta campeã, somos nós quem ditamos o ritmo de jogo. Eu particularmente usaria o esquema 4-1-4-1, já que o Dunga gosta de um cão de guarda a frente da zaga e particularmente nessa partida, deixaria o Neymar no banco e sairia com o seguinte time: Alisson(G), Danilo(LD), Miranda(Z), Gil(Z), Filipe Luís(LE), Luiz Gustavo(V), Willian(MD), Fernandinho(MC), Lucas Lima(MC), Douglas Costa(ME) e Ricardo Oliveira(A) e para a segunda etapa, Neymar no lugar de Ricardo Oliveira ou no lugar do Fernandinho, trazendo o Willian pro centro, são substituições que poderiam ser feitas. O Brasil precisa de técnicos que não chovam no molhado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário