quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Goiás quer recorrer de queda?

Li matéria no GloboEsporte.com dizendo que o presidente do Goiás irá recorrer ao rebaixamento, mas não me parece ser bem isso, na matéria do site, o que encontramos sobre a fala do presidente é a seguinte: "Vamos fazer o que preconiza a lei: exigir via CBF que todos os clubes apresentem documentos que comprovem situação de regularidade. Nos sacrificamos muito para ficar em dia com nossas obrigações. Pagamos salário, premiação, impostos, tudo corretamente. Precisamos ver se o país é sério realmente e se todos estão cumprindo".

Outra fala do mandatário no site é essa: "Como manda o manual, passamos pelo corporativo da Federação Goiana de Futebol (FGF) e enviamos por eles um ofício alertando a CBF sobre a necessidade de se fazer cumprir a lei que foi assinada no dia 4 de agosto em Brasília. A impressão que tenho é que deve haver muito mais do que três clubes em situação irregular".

Ele em momento algum falou em evitar a queda do Goiás, claro que ele falou que deve haver mais de 3 equipes em situação irregular, mas me parece que foi mais por conta da pergunta do jornalista, do que por que ele quer evitar a queda do seu time.

Se existe times na série A que não estão cumprindo a lei, que sejam todos (que não cumprem) rebaixados. Quem sabe assim possamos aprender que as leis existem para serem cumpridas.

Imagine que você foi para o SPC porque existem pessoas que não pagaram as suas contas. É justo isso? Pois é isso o que está acontecendo. Se um clube não consegue pagar seus funcionários, é óbvio que ele não merece estar disputando a divisão em que se encontra.

Na Itália a Juventus disputou a segunda divisão por ter se envolvido com corrupção de árbitros e hoje é o grande time da Itália. Não há mau nenhum em errar e pagar por seus crimes, o importante é que o futebol sirva de exemplo para a sociedade de que não deve haver impunidade para quem infringi as leis.

Segue lei do Profut